Priscila

Você passou suave feito brisa e chamou-me!
Rápido, linda, sedutora e faceira!
Como um redemoinho envolveu-me...
Numa ingênua brincadeira.
Ah Priscila adorável!
Que tal tempo tem-na trazido a mim!
De uns dias pra cá fortaleceu minha rima
Por mil vezes teu beijo queria-os sim!
Dos teus genitores é a obra prima!
Encontrou-me carente e a míngua...
Seduziu-me com teu charme e encanto,
E ao falarmos a mesma língua ...
Acionou o desejo outrora de um infanto!
Arrependo-me de ter só teu e-mail
E não ter em meu poder teu telefone,
Mil vezes quero debruçar sobre teu seio...
Quero ser tua criança e teu homem.
A unha mata-me como a um parasita...
Nenhum telefonema, só email em resposta
Ao longe me assiste, distante me fita
O que me consola ainda é que me gosta. 
Não tento seduzi-la com meus poemas
Mas eles são meus meios de comunicação,
Mas se ficasse comigo mais uns atos ou cenas
Atenção! Ouça hoje a voz que vem de teu coração.
Sei que o verso a cima foi bem apelativo
E que de repente escrevi uma tolice
Mas só em pensar que posso vir a ser seu amigo
Temo não vê-la outra vez por essa peraltice!
Mas quero que fique tranqüila
Quisera eu conquistá-la, mas não tentarei
Saiba minha adorável Priscila
Que mil poemas ainda, lhe farei...
06/2010
 Osny de Souza Alves

Postar um comentário

Postagens mais visitadas