Fernandinha...





Sabe quando dormes
Aquele soninho gostoso?
De camisola bem nos conformes
Naquele travesseiro cheiroso...
Que seguras contra o seio
E apertas com mil chameguinhos,
E sonhas com aquele e-mail
Recheado de carinhos!
Aquela poesia prometida
Que até o romance sente inveja
E ficas entretida...
Lendo e relendo e sonhando a beça!
Na mente o cara que te denuncia
Na face avermelhada o flagrante,
Cada poema que fácil vicia
Até o mais frio imigrante!
Sonhando aos beijos ao pé do ouvido
Entre sussurros e palavras de baixo calão,
Tentando esconder os sufocados gemidos
De repente soltas um grito num jorro de emoção!
Acordas assustada e imenso é o calor
Que nem o ar condicionado da conta!
Ligas aquele antigo ventilador
 E novamente pra dormir está pronta!
Deitas querendo continuar a sonhar
Mas dispersas em tantos outros problemas
Rolas daqui pra ali e de lá para cá
Mas só te restas reler antigos poemas.
Entras na net como pensastes
Então falas no MSN com ele, cheia de medo
 Ele pergunta o que realmente sonhastes
Como se olhasse em seus olhos você diz: (...) Segredo.

 (OSA)

Postar um comentário

Postagens mais visitadas