Priscilinha...


Priscilinha...
Sabe quando o teu lábio toca...
Ao som frenético de gemidos,
Num baile de boca a boca...
No pescoço, queixo e ouvidos?
Saiba que não há desejos sem malícias
E que por vezes a gente se segura,
Na iniciação de mil e uma carícias
Escapando da censura!
Quando se trata de amor, não há limite!
Às vezes por ele ou por ela imposta...
Mas aqui deixo o meu palpite,
Como controlar mordidas no seio, no ombro e nas costas?
 Ah! Morena Priscila...
Com sua voz encantadora
Sei que o seu amor hoje oscila...
Mesmo com o seu poder de sedutora!
Seu brilho ilumina o meu caminho
Minha vida e meu coração
Quero tratá-la com carinho!

Ser só ouvidos e lhe dar minha atenção!
Menina você é uma miragem
 No deserto da minha solidão...
Quero decifrar cada tatuagem
E amá-la nessa sua imensidão!
De uma real beleza
Que não consigo descrever,
Você é um presente da realeza
Que quem perdeu, outra não irá ter!
Ah! Priscilinha se hoje eu rezo
É pelo fato de não estar ao meu alcance!
E é por isso que a Deus eu peço...
Que você me dê uma chance!
                                                       Autor: Osny S. Alves
Postar um comentário

Postagens mais visitadas