Esquecimento

Que homem que sou?
Esqueci o próprio dia!
É como esquecer o sol
Quando já tarde surgira...
Por pensar nos outros
Pensamento que vicia,
E também os ombros
Muito mais eu daria...
Dei a eles os ouvidos
A eles até a simpatia
De seres tão sofridos
E o que a alma jazia...
O que pedia socorro
E amparo me pedia,
Gritava em sussurro
Em plena tarde gemia...
Tentei alivia-lhes a alma
Pois o dia se pondo já ia
Mostrei o valor da calma
Que cura e não entedia!
Esqueci o meu dia próprio
Por pensar em dar alegria,
E palavras dei para o sóbrio
Frescor a quem tanto sofria!
E lembrei no inicio da noite
O que preparado eu tinha,
Foi o mais terrível açoite
Que minha alma sentia!
Já que o dia acabara
Postei o que eu devia
E tenho a insônia agora
Só ela por companhia!
Tenho por tédio a rebeldia
Prazeres do dia me somem
Foi se embora o meu dia
O dia mais lindo do Homem!

By Osny Alves
1 comentário

Postagens mais visitadas