CONSELHO AMIGO

Outro dia encontrei um amigo
Que me pediu para analisa-lo
Fiquei pensando... Eu digo?
E agora eu falo... Ou me calo?
Decidi escrever-lhe uma poesia
Que dizia mais ou menos assim:
Às vezes eu empino meu nariz
Penso ser o melhor com paixão
Eu olho no espelho que me diz:
Às vezes para olhar para o chão.
Pois sabe que esse é meu fraco
Que eu faço às vezes sem noção
E só acordo ao cair no buraco...
E pergunta se aprendi a lição.
Mas estando no fundo do poço
Peço para os amigos uma mão
Um deles me diz agora não posso
E outro claramente me diz não!
Então eu fico ali desesperado
Telefonando para um e outro
E naquele buraco estou isolado
Sem carinho, amigo ou ombro!
Tento lembrar onde foi que errei
Por mim... Eu me sinto analisado
E então as pessoas a quem pisei
E concluo que sou eu o culpado!
O meu amigo então me olhou
Apanhou o papel de minha mão
E com frieza a poesia analisou
E onde me enquadro nessa questão?
Existem pessoas que não ouvem seu espelho
E não veem o que está à frente dos seus olhos
Pedem mas não aceitam se quer conselho
E se iludem com a ganancia de seus sonhos!
E esse reflexo não é um vidro qualquer
São com pessoas que você se sente bem...
Pode ser homem, um profissional ou mulher!
Pois o conselho é o seu olhar visto do rosto de alguém.
By Osny
Postar um comentário

Postagens mais visitadas