A Espada por Pena

Sinto como um personagem
Daqueles bravos da história,
E faziam uma longa viagem
Só pela honra, ouro e glória!
Navegar pelos grandes rios
Da antiguíssima Babilônia...
Ou por ascender os brios
Tal qual valentia medonha!
De determinados guerreiros
De batalhas e tradições épicas
Como no caso dos trezentos
De inspirações estratégicas!
Que brilharam nas páginas
Que nos livros estão contidas,
Que pela fé verteram lagrimas
E por Deus deram suas vidas!
E mesmo perdido a batalha
O corpo doído ainda me mói
E levanto como indo a Valhalla
Sou entre tantos mais um herói!
E vendo no ano que se inicia
Deuses da mitologia velam por mim
E minha nuca eu sei que acaricia
E põe poder e magia talvez de Odin!
E surgindo das cinzas eu renasço
E trago na mão a espada por pena
Tiro das costas o fardo de cansaço
E estou aqui por outro poema!

Osny Alves
Postar um comentário

Postagens mais visitadas