DESLIZES


O que me mata são as grades
Aquelas do limite e do respeito
Não são as mentiras, mas as verdades...
Como a mão espalmada em meu peito!
O coração não me aprisiona
Nada me para, nada me detém!
Porem a educação me aciona
E dela viro um refém!
Quer me esbofetear não me despreze
Apenas minta pra mim
Quer me ajudar? Ore, reze...
Mas não faças assim!
Quer inventar, que invente!
Eu não ligo sabe que é verdade
Quer me enganar... Tente
Não sou fruto da ingenuidade...
 Nada é o que parece
Até se provar o contrário
Nada me assusta... Esquece!
O mundo é ordinário.
Os julgamentos e o achismo
Porem nada mais me surpreende
Nem preconceito ou machismo
Nem a decepção minha atenção não prende!
Porque tratamos com pessoas
Falhas, mal amadas e infelizes...
Muitas vezes más, raras boas
Num profundo poço de deslizes...
By Osny 

Postar um comentário

Postagens mais visitadas