Labirintos da Alma

São tantas vielas sombrias
Fácil de se perder dentro de mim
Têm tristezas e alegrias
Desde o início até o fim...
Tantas estradas e atalhos
Muitas avenidas e ruas
Andar dentro de mim... Dá trabalho
E um perigo nas alamedas escuras.
Ali temos vales e paraísos
E também um castelo de amor
São tantos teatros e risos
Dramas e histórias de horror.
Andar dentro de mim, é difícil
São pesadelos de quem não sonha
Percorrer as salas dos edifícios
Sem chaves nas trancas, só senhas.
Decifrar cada algoritmo
Para se chegar ao coração
Correr ou andar no meu ritmo
Pode ser a maior provação.
Para se chegar em minha mente
Um aviso: não há elevador
São três mil degraus em mente

Bem agridoce é o seu sabor!
O piso ao redor é escorregadio
E o foço que há é profundo
Ao redor do cérebro é oco e vazio
Mas dentro existem mil mundos.
Navegar e surfar no meu mar
É mais difícil do que se imagina
Tem que ser ousada e me amar
E ser a maior das heroínas!
Ao chegar há um trono
Que é pra amazona escolhida
Ela dominará esse reino
Pelo resto de minha vida.
Osny Alves
Postar um comentário

Postagens mais visitadas