ANDAR DESCALÇO

Gosto de andar descalço
Chutando a areia do mar,
Às vezes piso em falso
Quase sempre sem notar.
Gosto de andar tão livre 
Nas ruas de paralelepípedos,
Gosto de ver quem vive
Não dando a mínima para apelidos.

Gosto de ouvir o cântico
Das aves a gorjear,
E o balançar romântico
Das não tão quietas ondas do mar.
E dos barulhos das árvores ouvir
Quando o vento encanta o tempo
Fazendo o céu cinzento,
No céu azul encobrir.

Do vôo da gaivota
E o planar do condor, 
Só não entendo o que você suporta
Quando o caso é o amor!
Gosto de diversos banhos
De água, cédulas e moedas,
E de entrar n'alguns sonhos
E no cantar dos poetas.

Gosto de andar por aí
De literatura, futebol e fonema.
Gosto do seu olhar e do seu sorrir,
Redação soneto e poema.

(Osny de Souza Alves)

Postar um comentário

Postagens mais visitadas